Veja a floresta – e não apenas a árvore

A avaliação de desempenho por competências possibilita um olhar amplo do funcionário

Mais do que apenas avaliar se os objetivos estão sendo cumpridos, a avaliação de desempenho por competências permite uma análise específica das deficiências e potenciais de cada funcionário. Fundamental na gestão de recursos humanos, a avaliação ajuda a identificar características, habilidades, conhecimentos e atitudes, possibilitando uma visão completa do profissional. O retorno gerado garante a implementação de ajustes para a melhora dos processos e da organização da empresa.

Uma das vantagens de se utilizar esta ferramenta é o fruto que ela fornece: é possível visualizar quais competências do colaborador contribuem para o bom funcionamento da organização e quais precisam ser melhor desenvolvidas. Tanto características positivas como negativas são reveladas, dessa forma, as primeiras podem ser melhor exploradas, e as segundas retrabalhadas. E mais: o trabalho após a avaliação adquire um caráter personalizado, adequando-se às necessidades de cada um. Vale ressaltar que a aplicação do teste deve ser liderada pela área de Recursos Humanos.

Geralmente, a avaliação leva em consideração as competências técnicas (conhecimentos e habilidades), comportamentais (atitudes e traços de personalidade), gerenciais (capacidade de gerir a si, a uma equipe e a empresa) e organizacionais (identidade e competitividade). Hoje o mercado utiliza algumas metodologias para fazer a aplicação da Avaliação de Desempenho por Competências, sendo possível realizá-la de forma conjunta ou individual. As três mais conhecidas são:

Avaliação 45º – o avaliado não tem participação no processo e apenas seu superior hierárquico é quem mede o desempenho individual em determinado tempo;

Avaliação 90º – além da ponderação feita pelo seu líder, existe também a autoavaliação, ou seja, o próprio funcionário determina notas para a sua função que, comparadas a do seu superior, compõem o resultado;

Avaliação 360º – também conhecida como modelo multivisão, insere a participação de gerentes, líderes, colegas e, até mesmo, de clientes e fornecedores no processo. Além do próprio colaborador e de seu superior, os outros agentes também formulam suas avaliações. Portanto, possibilita um olhar bastante amplo do avaliado. A avaliação 360º demonstra aquilo que precisa ser trabalhado para o crescimento profissional e destaca, principalmente, os pontos que merecem valorização.

Enfim, é sempre melhor que consigamos ver a floresta – e não apenas a árvore. 

Últimas Notícias

Presidente e diretores do BC passam a ter mandatos fixos

Decisão é devido à lei que dá autonomia ao Banco Central

Governo destinará até R$ 15 bilhões para relançar BEm e Pronampe

Ministério da Economia aguarda aprovação de projeto que altera LDO

[CLT] Assistente Comercial em Result Mais Consultoria

Ter perfil Hunter e Farmer (captação e atendimento)Experiência com vendas de serviços e produtos, vendas consultivasExcelente ComunicaçãoPacote Office Negociação AvançadaExcelência em Atendimento ao Cliente...

Mercado financeiro prevê inflação em 4,9% neste ano

PIB deve crescer um pouco mais de 3%

Relacionados